Pela criação

Convite

terça-feira, 3 de novembro de 2015

4ª feira da 31ª semana do TC

2ª Leitura - Rm 13,8-10
O amor é o cumprimento perfeito da Lei.
Leitura da Carta de São Paulo aos Romanos 13,8-10
Irmãos: 8Não fiqueis devendo nada a ninguém, a não ser o amor mútuo, - pois quem ama o próximo está cumprindo a Lei-. 9De fato, os mandamentos: 'Não cometerás adultério', 'Não matarás', 'Não roubarás', 'Não cobiçarás', e qualquer outro mandamento se resumem neste: 'Amarás a teu próximo como a ti mesmo'. 10O amor não faz nenhum mal contra o próximo. Portanto, o amor é o cumprimento perfeito da Lei.
Palavra do Senhor.

O amor é a verdadeira interpretação da lei. Sem amor a lei se mostra como “cerceamento da liberdade”. Isto porque a liberdade do ponto de vista humano quase se assemelha a anarquia. O amor abre a pessoa ao outro; importa-se, ou seja, se porta para dentro, se coloca dentro do outro e coloca o outro dentro de si.

Salmo - Sl 111 (112),1-2. 4-5. 9 (R.5a)
R. Feliz quem tem piedade e empresta!

1Feliz o homem que respeita o Senhor *
e que ama com carinho a sua lei!
2Sua descendência será forte sobre a terra, *
abençoada a geração dos homens retos!
R.

4Ele é correto, generoso e compassivo, *
como luz brilha nas trevas para os justos.
5Feliz o homem caridoso e prestativo, *
que resolve seus negócios com justiça.
R.

9Ele reparte com os pobres os seus bens, +
permanece para sempre o bem que fez, *
e crescerão a sua glória e seu poder.
R.

Evangelho - Lc 14,25-33
Qualquer um de vós, se não renunciar a tudo
o que tem, não pode ser meu discípulo!
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Lucas 14,25-33
Naquele tempo: 25Grandes multidões acompanhavam Jesus. Voltando-se, ele lhes disse: 26'Se alguém vem a mim, mas não se desapega de seu pai e sua mãe, sua mulher e seus filhos, seus irmãos e suas irmãs e até da sua própria vida, não pode ser meu discípulo. 27Quem não carrega sua cruz e não caminha atrás de mim, não pode ser meu discípulo. 28Com efeito: qual de vós, querendo construir uma torre, não se senta primeiro e calcula os gastos, para ver se tem o suficiente para terminar? Caso contrário, 29ele vai lançar o alicerce e não será capaz de acabar. E todos os que virem isso começarão a caçoar, dizendo: 30'Este homem começou a construir e não foi capaz de acabar!' 31Ou ainda: Qual o rei que ao sair para guerrear com outro, não se senta primeiro e examina bem se com dez mil homens poderá enfrentar o outro que marcha contra ele com vinte mil? 32Se ele vê que não pode, enquanto o outro rei ainda está longe, envia mensageiros para negociar as condições de paz. 33Do mesmo modo, portanto, qualquer um de vós, se não renunciar a tudo o que tem, não pode ser meu discípulo!'
Palavra da Salvação.


No evangelho de terça-feira da 31ª semana do TC, fomos convidados a refletir sobre o convite insistente a participar do banquete, a formar comunhão. Comunhão e participação ameaçadas pelo puro cumprimento de leis. Leis questionada por Jesus, pois diminuíam a possibilidade de fraternidade ao dar concordância a viver no próprio “eu”. O Reino, como o banquete, é dado a todos, incluindo os que são excluídos pela sociedade, mas há condição para participar dele: o seguimento verdadeiro.
O evangelho desta quarta-feira da 31ª semana do TC nos adverte sobre esta condição. Quem não deixa tudo (riqueza, segurança, projetos...) por amor maior a Jesus não pode seguir verdadeiramente o Senhor.
Quem segue vai atrás, como a criança que caminha nas pegadas de quem foi à frente, e justamente nelas “encontra segurança”. O seguimento é chave de leitura para compreendermos o amor exclusivo exigido pelo Mestre. A pobreza total não é a pobreza estoica dos filósofos, mas a pobreza de quem se enamorou por alguém a quem considera maior do que tudo. Não é uma pobreza impulsiva. Jesus indica sentar para calcular, ou seja, discernir. Portanto, é pobreza escolhida, avaliada, decidida. É entrega gratuita e livre de si. Tomar a própria cruz é discernir e colocar-se na realidade, não enriquecendo o coração e a mente com ilusões, mas assumido o cotidiano, com suas dificuldade e tentações, como único modo de seguir o Senhor.
As tentações e seduções (a busca por segurança, riqueza, status...), que nos mantém longe da vergonha e da humilhação (e aprendemos a ter medo da vergonha) são as mesmas que nos escravizam, por que nos iludem.
Feliz de quem participa do banquete do Reino, pois é seguidor do Mestre que coloca toda a sua confiança no Pai.

Podemos dizer: Feliz quem segue e se assemelha a Jesus!

terça-feira, 25 de agosto de 2015

Quarta-feira da 21ª semana do Tempo Comum

Evangelho (Mt 23,27-32)
Naquele tempo, disse Jesus: 27“Ai de vós, mestres da Lei e fariseus hipócritas! Vós sois como sepulcros caiados: por fora parecem belos, mas por dentro estão cheios de ossos de mortos e de toda podridão! 28Assim também vós: por fora, pareceis justos diante dos outros, mas por dentro estais cheios de hipocrisia e injustiça. 29Ai de vós, mestres da Lei e fariseus hipócritas! Vós construís sepulcros para os profetas e enfeitais os túmulos dos justos, 30e dizeis: ‘Se tivéssemos vivido no tempo de nossos pais, não teríamos sido cúmplices da morte dos profetas’. 31Com isso, confessais que sois filhos daqueles que mataram os profetas. 32Completai, pois, a medida de vossos pais!”

Para seguir Jesus é necessário coerência de vida evangélica. As aparências externas não escondem as motivações profundas nem a verdade de quem quer que seja.


Primeira Leitura (1Ts 2,9-13)
9Irmãos, certamente ainda vos lembrais dos nossos trabalhos e fadigas. Trabalhamos dia e noite, para não sermos pesados a nenhum de vós. Foi assim que anunciamos o Evangelho de Deus. 10Vós sois testemunhas, e Deus também, de quão santo, justo, irrepreensível foi o nosso proceder para convosco, os fiéis. 11Bem sabeis que, como um pai a seus filhos, 12nós exortamos a cada um de vós e encorajamos e insistimos, para que vos comporteis de modo digno de Deus, que vos chama ao seu reino e à sua glória. 13Por isso agradecemos a Deus sem cessar por terdes acolhido a pregação da Palavra de Deus, não como palavra humana, mas como aquilo que de fato é: Palavra de Deus, que está produzindo efeito em vós que abraçastes a fé.

Quem se sente chamado ao Reino mostra em sua vida esta “vocação”, vive de acordo com o Reino. A prática de vida dá testemunho da fé alimentada no coração.


Salmo Responsorial (Sl 138)

Senhor, vós me sondais e me conheceis!

Em que lugar me ocultarei de vosso espírito?
E para onde fugirei de vossa face?
Se eu subir até os céus, ali estais;
se eu descer até o abismo, estais presente.

Se a aurora me emprestar as suas asas,
para eu voar e habitar no fim dos mares;
mesmo lá vai me guiar a vossa mão
e segurar-me com firmeza a vossa destra.

Se eu pensasse: “A escuridão venha esconder-me
e que a luz ao meu redor se faça noite!”
Mesmo as trevas para vós não são escuras,
a própria noite resplandece como o dia.



terça-feira, 18 de agosto de 2015

Reflexão sobre liturgia da palavra da 4ª feira da 20ª semana do tempo comum

Evangelho - Mt 20,1-16a
Estás com inveja porque eu estou sendo bom?
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus 20,1-16a
Naquele tempo:
Jesus contou esta parábola a seus discípulos:
1'O Reino dos Céus é como a história do patrão
que saiu de madrugada
para contratar trabalhadores para a sua vinha.
2Combinou com os trabalhadores uma moeda de prata por
dia, e os mandou para a vinha.
3Às nove horas da manhã, o patrão saiu de novo,
viu outros que estavam na praça, desocupados,
4e lhes disse: 'Ide também vós para a minha vinha!
E eu vos pagarei o que for justo'.
5E eles foram. O patrão saiu de novo ao meio-dia
e às três horas da tarde, e fez a mesma coisa.
6Saindo outra vez pelas cinco horas da tarde,
encontrou outros que estavam na praça, e lhes disse:
`Por que estais aí o dia inteiro desocupados?'
7Eles responderam:
`Porque ninguém nos contratou'.
O patrão lhes disse:
`Ide vós também para a minha vinha'.
8Quando chegou a tarde, o patrão disse ao administrador:
`Chama os trabalhadores e paga-lhes uma diária a todos,
começando pelos últimos até os primeiros!'
9Vieram os que tinham sido contratados às cinco da tarde
e cada um recebeu uma moeda de prata.
10Em seguida vieram os que foram contratados primeiro,
e pensavam que iam receber mais.
Porém, cada um deles também recebeu uma moeda de prata.
11Ao receberem o pagamento,
começaram a resmungar contra o patrão:
12`Estes últimos trabalharam uma hora só,
e tu os igualaste a nós,
que suportamos o cansaço e o calor o dia inteiro'.
13Então o patrão disse a um deles:
`Amigo, eu não fui injusto contigo.
Não combinamos uma moeda de prata?
14Toma o que é teu e volta para casa!
Eu quero dar a este que foi contratado por último
o mesmo que dei a ti.
15Por acaso não tenho o direito de fazer o que quero
com aquilo que me pertence?
Ou estás com inveja, porque estou sendo bom?'
16aAssim, os últimos serão os primeiros,
e os primeiros serão os últimos.'
Palavra da Salvação.

Com muita frequência sentimos ciúmes da bondade alheia, ou porque não somos o alvo dela, ou porque ela nos questiona, ou porque as honras são dadas a outros e não a nós. Ciúmes este que nasce da não centralidade do Reino na nossa vida, mas do “eu”.

1ª Leitura - Jz 9,6-15
Dissestes: é um rei que deve reinar sobre nós,
quando o Senhor vosso Deus é o vosso rei.
Leitura do Livro dos Juízes 9,6-15
Naquele tempo:
6Todos os habitantes de Siquém
e os de Bet-Melo
se reuniram junto a um carvalho que havia em Siquém
e proclamaram rei a Abimelec.
7Informado disso,
Joatão foi postar-se no cume do monte Garizim
e se pôs a gritar em alta voz, dizendo:
'Ouvi-me, moradores de Siquém,
e que Deus vos ouça.
8Certa vez, as árvores resolveram ungir um rei
para reinar sobre elas,
e disseram à oliveira: 'Reina sobre nós`.
9Mas ela respondeu:
'Iria eu renunciar ao meu azeite,
com que se honram os deuses e os homens,
para me balançar acima das árvores?'
10Então as árvores disseram à figueira:
'Vem e reina sobre nós'.
11E ela lhes respondeu:
'Iria eu renunciar à minha doçura
e aos saborosos frutos,
12As árvores disseram então à videira:
'Vem e reina sobre nós'.
13E ela lhes respondeu:
'Iria eu renunciar ao meu vinho,
que alegra os deuses e os homens,
para me balançar acima das outras árvores?'
14Por fim, todas as árvores disseram ao espinheiro:
'Vem tu reinar sobre nós'.
15O espinheiro respondeu-lhes:
'Se deveras me constituís vosso rei,
vinde e repousai à minha sombra;
mas se não o quereis, saia fogo do espinheiro
e devore os cedros do Líbano!'.
Palavra do Senhor. 

Quando Israel quis ser igual aos outros povos, buscou um rei. No período dos Juízes, o povo se organizava a partir da solidariedade entre as tribos, uma suprindo as necessidades das outras, no processo que se chama de subsidiariedade. Quando uma era atacada, todas as tribos se sentiam atacadas. A entrada do sistema de reinado faz com que esta organização e atitude fraterna entre as tribos desapareçam. Eis a crítica de Joatão, o rei só serve para atrapalhar, “balançando” sobre os demais, ou seja, não faz nada pelo povo.

Salmo - Sl 20,2-3. 4-5. 6-7 (R. 2a)
R. Ó Senhor, em vossa força o rei se alegra.

2Ó Senhor, em vossa força o rei se alegra; *
quanto exulta de alegria em vosso auxílio!
3O que sonhou seu coração, lhe concedestes; *
não recusastes os pedidos de seus lábios.R.

4Com bênção generosa o preparastes; *
de ouro puro coroastes sua fronte.
5A vida ele pediu e vós lhe destes, *
longos dias, vida longa pelos séculos.R.

6É grande a sua glória em vosso auxílio; *
de esplendor e majestade o revestistes.
7Transformastes o seu nome numa bênção, *
e o cobristes de alegria em vossa face.R.

O salmo responsorial canta a grandeza do rei, lembrando que ela vem de Deus, mas Deus a concede àquele que cuida do povo como servo de Deus. Os profetas advertirão os reis ao longo da história quando eles não são fiéis a Javé.


A fidelidade a Deus e a centralidade do Reino são fundamentais na vida do cristão para que este não repita o que critica na vida da sociedade. Os próprios critérios para suas ações e observações não podem ser os mesmos da sociedade. A superação das desigualdades e das necessidades passa pela bondade que vai além da justiça, construindo identidade de quem participa da vinha (Reino) e é capaz de perceber esta diferença (estar o dia inteiro na vinha é mais do que ganhar o salário combinado).

O cristão não encontra estabilidade e segurança nas coisas do mundo, mas caminha no mundo implantando o reino. Não é um rei que salvará Israel. Não é um sistema social que salvará as pessoas. Só Deus salva. Reis, sistemas, salários somente ajudam na salvação quando entram na dinâmica da vinha, quando constroem o Reino.

terça-feira, 21 de abril de 2015

4ª feira da 3ª semana da Páscoa


Evangelho - Jo 6,35-40

Naquele tempo, disse Jesus à multidão: 35'Eu sou o pão da vida. Quem vem a mim não terá mais fome e quem crê em mim nunca mais terá sede. 36Eu, porém, vos disse que vós me vistes, mas não acreditais. 37Todos os que o Pai me confia virão a mim, e quando vierem, não os afastarei. 38Pois eu desci do céu não para fazer a minha vontade, mas a vontade daquele que me enviou. 39E esta é a vontade daquele que me enviou: que eu não perca nenhum daqueles que ele me deu, mas os ressuscite no último dia. 40Pois esta é a vontade do meu Pai: que toda pessoa que vê o Filho e nele crê tenha a vida eterna. E eu o ressuscitarei no último dia.'

A ressurreição do Senhor é participada por aqueles que nele creem, por aqueles que participam de sua vida.

1ª Leitura - At 8, 1b-8

1bNaquele dia começou uma grande perseguição contra a Igreja de Jerusalém. E todos, com exceção dos apóstolos, se dispersaram pelas regiões da Judéia e da Samaria. 2Algumas pessoas piedosas sepultaram Estêvão e observaram grande luto por causa dele. 3Saulo, porém, devastava a Igreja: entrava nas casas e arrastava para fora homens e mulheres, para atirá-los na prisão. 4Entretanto, aqueles que se tinham dispersado iam por toda a parte, pregando a Palavra. 5Filipe desceu a uma cidade da Samaria e anunciou-lhes o Cristo. 6As multidões seguiam com atenção as coisas que Filipe dizia. E todos unânimes o escutavam, pois viam os milagres que ele fazia. 7De muitos possessos saíam os espíritos maus, dando grandes gritos. Numerosos paralíticos e aleijados também foram curados. 8Era grande a alegria naquela cidade.

A vida nova, vinda da participação na vida de Jesus, traz a missão de anunciar e de fazer as obras do Senhor. Esta missão torna possível que outros também participem da ressurreição, não obstante a perseguição de quem não acredita.

Salmo - Sl 65, 1-3a. 4-5. 6-7a (R.1)
R. Aclamai o Senhor Deus, ó terra inteira.

1Aclamai o Senhor Deus, ó terra inteira,*
2cantai salmos a seu nome glorioso,
dai a Deus a mais sublime louvação!*
3aDizei a Deus: 'Como são grandes vossas obras! R.

4Toda a terra vos adore com respeito*
e proclame o louvor de vosso nome!'
5Vinde ver todas as obras do Senhor:*
seus prodígios estupendos entre os homens! R.

6O mar ele mudou em terra firme,*
e passaram pelo rio a pé enxuto.
Exultemos de alegria no Senhor!*
7aEle domina para sempre com poder! R.


sexta-feira, 17 de abril de 2015

3º Domingo de Páscoa

 Evangelho - Lc 24,35-48
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Lucas 24,35-48

Naquele tempo: 35Os dois discípulos contaram o que tinha acontecido no caminho, e como tinham reconhecido Jesus ao partir o pão. 36Ainda estavam falando, quando o próprio Jesus apareceu no meio deles e lhes disse: 'A paz esteja convosco!' 37Eles ficaram assustados e cheios de medo, pensando que estavam vendo um fantasma. 38Mas Jesus disse: 'Por que estais preocupados, e porque tendes dúvidas no coração? 39Vede minhas mãos e meus pés: sou eu mesmo! Tocai em mim e vede! Um fantasma não tem carne, nem ossos, como estais vendo que eu tenho'. 40E dizendo isso, Jesus mostrou-lhes as mãos e os pés. 41Mas eles ainda não podiam acreditar, porque estavam muito alegres e surpresos. Então Jesus disse: 'Tendes aqui alguma coisa para comer?' 42Deram-lhe um pedaço de peixe assado. 43Ele o tomou e comeu diante deles. 44Depois disse-lhes: 'São estas as coisas que vos falei quando ainda estava convosco: era preciso que se cumprisse tudo o que está escrito sobre mim na Lei de Moisés, nos Profetas e nos Salmos'. 45Então Jesus abriu a inteligência dos discípulos para entenderem as Escrituras, 46e lhes disse: 'Assim está escrito: O Cristo sofrerá e ressuscitará dos mortos ao terceiro dia 47e no seu nome, serão anunciados a conversão e o perdão dos pecados a todas as nações, começando por Jerusalém. 48Vós sereis testemunhas de tudo isso'.

As testemunhas dos mistérios de Jesus Cristo passam por uma grande transformação: apesar de incredulidade nascida da alegria e surpresa diante da novidade da ressurreição, são convidados pelo próprio Senhor a reinterpretar as Sagradas Escrituras e toda a vida a partir do novo. Ao reconhecer o Senhor vivo e ressuscitado a partir dos seus gestos, descobre-se um novo caminho e uma nova vida.

1ª Leitura - At 3,13-15.17-19
Leitura dos Atos dos Apóstolos 3,13-15.17-19

Naqueles dias, Pedro se dirigiu ao povo, dizendo: 13O Deus de Abraão, de Isaac, de Jacó, o Deus de nossos antepassados glorificou o seu servo Jesus. Vós o entregastes e o rejeitastes diante de Pilatos, que estava decidido a soltá-lo. 14Vós rejeitastes o Santo e o Justo, e pedistes a libertação para um assassino. 15Vós matastes o autor da vida, mas Deus o ressuscitou dos mortos, e disso nós somos testemunhas. 17E agora, meus irmãos, eu sei que vós agistes por ignorância, assim como vossos chefes. 18Deus, porém, cumpriu desse modo o que havia anunciado pela boca de todos os profetas: que o seu Cristo haveria de sofrer. 19Arrependei-vos, portanto, e convertei-vos, para que vossos pecados sejam perdoados.

Apesar das ações que conduziram à morte, Pedro faz seus ouvintes perceber a misericórdia de Deus, tanto na salvação vinda pelo cumprimento das escrituras como pelo perdão a quem se converte, a quem toma novo caminho, toma vida nova.


Salmo - Sl 4,2.4.7.9 (R. 7a)
R. Sobre nós fazei brilhar o esplendor de vossa face!

2Quando eu chamo, respondei-me*
ó meu Deus, minha justiça!
Vós que soubestes aliviar-me nos momentos de aflição,
atendei-me por piedade e escutai minha oração! R.

4Compreendei que nosso Deus*
faz maravilhas por seu servo,
e que o Senhor me ouvirá*
quando lhe faço a minha prece! R.

7Muitos há que se perguntam:*
'Quem nos dá felicidade?'
Sobre nós fazei brilhar*
o esplendor de vossa face! R.

9Eu tranquilo vou deitar-me*
e na paz logo adormeço,
pois só vós, ó Senhor Deus,*
dais segurança à minha vida! R.

É em Deus que o salmista encontra a plenitude da vida. Na misericórdia divina encontra-se a possibilidade de viver verdadeiramente tranquilo.

2ª Leitura - 1Jo 2,1-5a
Leitura da Primeira Carta de São João 2,1-5a

1Meus filhinhos, escrevo isto para que não pequeis. No entanto, se alguém pecar, temos junto do Pai um Defensor: Jesus Cristo, o Justo. 2Ele é a vítima de expiação pelos nossos pecados, e não só pelos nossos, mas também pelos pecados do mundo inteiro. 3Para saber que o conhecemos, vejamos se guardamos os seus mandamentos. 4Quem diz: 'Eu conheço a Deus', mas não guarda os seus mandamentos, é mentiroso, e a verdade não está nele. 5ª Naquele, porém, que guarda a sua palavra, o amor de Deus é plenamente realizado.


A misericórdia nos é dada pela mediação de Jesus Cristo, que advoga a nosso favor quando pecamos e nos arrependemos, mas também antecipadamente nos garantindo o amor do Pai. O que é pedido ao crente é que busque viver os mandamentos, os ensinamentos de Deus, de modo a testemunhar que o ama.

terça-feira, 14 de abril de 2015

4ª feira da 2ª semana de Páscoa

Evangelho - Jo 3,16-21

16Deus amou tanto o mundo, que deu o seu Filho unigênito, para que não morra todo o que nele crer, mas tenha a vida eterna. 17De fato, Deus não enviou o seu Filho ao mundo para condenar o mundo, mas para que o mundo seja salvo por ele. 18Quem nele crê, não é condenado, mas quem não crê, já está condenado, porque não acreditou no nome do Filho unigênito. 19Ora, o julgamento é este: a luz veio ao mundo, mas os homens preferiram as trevas à luz, porque suas ações eram más. 20Quem pratica o mal odeia a luz e não se aproxima da luz, para que suas ações não sejam denunciadas. 21Mas quem age conforme a verdade aproxima-se da luz, para que se manifeste que suas ações são realizadas em Deus.

A salvação está na fé em Jesus Cristo ressuscitado. Está fé é manifestada pela ação realizada em Deus e por Deus, pois ela realiza-se na verdade, que é o próprio Cristo, não temendo a luz.


1ª Leitura - At 5,17-26
Naqueles dias: 17Levantaram-se o sumo sacerdote e todos os do seu partido - isto é, o partido dos saduceus - cheios de raiva 18e mandaram prender os apóstolos e lançá-los na cadeia pública. 19Porém, durante a noite, o anjo do Senhor abriu as portas da prisão e os fez sair, dizendo: 20'Ide falar ao povo, no Templo, sobre tudo o que se refere a este modo de viver.' 21Eles obedeceram e, ao amanhecer, entraram no Templo e começaram a ensinar. O sumo sacerdote chegou com os seus partidários e convocou o Sinédrio e o Conselho formado pelas pessoas importantes do povo de Israel. Então mandaram buscar os apóstolos à prisão. 22Mas, ao chegarem à prisão, os servos não os encontraram e voltaram dizendo: 23'Encontramos a prisão fechada, com toda segurança, e os guardas estavam a postos na frente da porta. Mas, quando abrimos a porta, não encontramos ninguém lá dentro.' 24Ao ouvirem essa notícia, o chefe da guarda do Templo e os sumos sacerdotes não sabiam o que pensar e perguntavam-se o que poderia ter acontecido. 25Chegou alguém que lhes disse: 'Os homens que vós colocastes na prisão estão no Templo ensinando o povo!' 26Então o chefe da guarda do Templo saiu com os guardas e trouxe os apóstolos, mas sem violência, porque eles tinham medo que o povo os atacasse com pedras.

Os apóstolos realizam a obra do Cristo, a vontade do Pai. Não são limitados pelas decisões humanas, pois é o próprio Deus quem toma conta de suas vidas.

Salmo - Sl 33, 2-3. 4-5. 6-7. 8-9 (R. 7a)

R. Este infeliz gritou a Deus, e foi ouvido.

2Bendirei o Senhor Deus em todo o tempo,*
seu louvor estará sempre em minha boca.
3Minha alma se gloria no Senhor;*
que ouçam os humildes e se alegrem! R.

4Comigo engrandecei ao Senhor Deus,*
exaltemos todos juntos o seu nome!
5Todas as vezes que o busquei, ele me ouviu,*
e de todos os temores me livrou. R.

6Contemplai a sua face e alegrai-vos,*
e vosso rosto não se cubra de vergonha!
7Este infeliz gritou a Deus, e foi ouvido,*
e o Senhor o libertou de toda angústia. R.

8O anjo do Senhor vem acampar*
ao redor dos que o temem, e os salva.
9Provai e vede quão suave é o Senhor!*
Feliz o homem que tem nele o seu refúgio! R.


sábado, 11 de abril de 2015

2º Domingo de Páscoa

Evangelho - Jo 20,19-31
19Ao anoitecer daquele dia, o primeiro da semana, estando fechadas, por medo dos judeus, as portas do lugar onde os discípulos se encontravam, Jesus entrou e pondo-se no meio deles, disse: 'A paz esteja convosco'. 20Depois destas palavras, mostrou-lhes as mãos e o lado. Então os discípulos se alegraram por verem o Senhor. 21Novamente, Jesus disse: 'A paz esteja convosco. Como o Pai me enviou, também eu vos envio'. 22E depois de ter dito isto, soprou sobre eles e disse: 'Recebei o Espírito Santo. 23A quem perdoardes os pecados eles lhes serão perdoados; a quem os não perdoardes, eles lhes serão retidos'. 24Tomé, chamado Dídimo, que era um dos doze, não estava com eles quando Jesus veio. 25Os outros discípulos contaram-lhe depois: 'Vimos o Senhor!'. Mas Tomé disse-lhes: 'Se eu não vir a marca dos pregos em suas mãos, se eu não puser o dedo nas marcas dos pregos e não puser a mão no seu lado, não acreditarei'. 26Oito dias depois, encontravam-se os discípulos novamente reunidos em casa, e Tomé estava com eles. Estando fechadas as portas, Jesus entrou, pôs-se no meio deles e disse: 'A paz esteja convosco'. 27Depois disse a Tomé: 'Põe o teu dedo aqui e olha as minhas mãos. Estende a tua mão e coloca-a no meu lado. E não sejas incrédulo, mas fiel'. 28Tomé respondeu: 'Meu Senhor e meu Deus!' 29Jesus lhe disse: 'Acreditaste, porque me viste? Bem-aventurados os que creram sem terem visto!' 30Jesus realizou muitos outros sinais diante dos discípulos, que não estão escritos neste livro. 31Mas estes foram escritos para que acrediteis que Jesus é o Cristo, o Filho de Deus, e para que, crendo, tenhais a vida em seu nome.
Palavra da Salvação.

Jesus reaparece aos discípulos no primeiro dia da semana, no mesmo dia em que ressuscita, no mesmo dia em que iniciou a criação do mundo.
No início da criação o ser humano compartilhava da presença de Deus, passeando com Ele no jardim. Agora os que têm medo dos próprios humanos se alegram com a presença do Ressuscitado, mas a experiência desta relação somente acontece entre os que creem, os que partilham da mesma fé, e em comunidade (Tomé).

1ª Leitura - At 4,32-35
Leitura dos Atos dos Apóstolos 4,32-35
32A multidão dos fiéis era um só coração e uma só alma. Ninguém considerava como próprias as coisas que possuía, mas tudo entre eles era posto em comum. 33Com grandes sinais de poder, os apóstolos davam testemunho da ressurreição do Senhor Jesus. E os fiéis eram estimados por todos. 34Entre eles ninguém passava necessidade, pois aqueles que possuíam terras ou casas, vendiam-nas, levavam o dinheiro, 35e o colocavam aos pés dos apóstolos. Depois, era distribuído conforme a necessidade de cada um.
Palavra do Senhor.


Há sintonia de vida entre os que partilham da fé em Jesus Ressuscitado, uma sintonia que vai além da comunhão espiritual, há comunhão material, com a partilha do que se tem para sanar a necessidade dos que fazem parte da nova família.

Salmo
R. Dai graças ao Senhor, porque ele é bom;
eterna é a sua misericórdia!'

Ou: R. Aleluia, Aleluia, Aleluia.

2A casa de Israel agora o diga:*
'Eterna é a sua misericórdia!'
3A casa de Aarão agora o diga:*
'Eterna é a sua misericórdia!'
4Os que temem o Senhor agora o digam:*
'Eterna é a sua misericórdia!' R.

16aA mão direita do Senhor fez maravilhas,
16ba mão direita do Senhor me levantou,*
a mão direita do Senhor fez maravilhas!'
17Não morrerei, mas ao contrário, viverei*
para cantar as grandes obras do Senhor!*
18O Senhor severamente me provou,*
mas não me abandonou às mãos da morte. R.

22'A pedra que os pedreiros rejeitaram,*
tornou-se agora a pedra angular.
23Pelo Senhor é que foi feito tudo isso:*
Que maravilhas ele fez a nossos olhos!
24Este é o dia que o Senhor fez para nós,*
alegremo-nos e nele exultemos!


Segunda Leitura
Leitura da Primeira Carta de São João 5,1-6
 Caríssimos:
1Todo o que crê que Jesus é o Cristo, nasceu de Deus, e quem ama aquele que gerou alguém, amará também aquele que dele nasceu. 2Podemos saber que amamos os filhos de Deus, quando amamos a Deus e guardamos os seus mandamentos. 3Pois isto é amar a Deus: observar os seus mandamentos. E os seus mandamentos não são pesados, 4pois todo o que nasceu de Deus vence o mundo. E esta é a vitória que venceu o mundo: a nossa fé. 5Quem é o vencedor do mundo, senão aquele que crê que Jesus é o Filho de Deus? 6Este é o que veio pela água e pelo sangue: Jesus Cristo. (Não veio somente com a água, mas com a água e o sangue). E o Espírito é que dá testemunho, porque o Espírito é a Verdade.
Palavra do Senhor.


Crer em Jesus é viver na verdade. A verdade transforma a vida porque é o Espírito atuando na pessoa, de modo que vence o mundo.


Ser transformado pelo Espírito e guiado por Ele é aceitar Jesus como Senhor e Cristo. Isto faz com que a pessoa se coloque em novas relações, não mais baseadas nas convenções da sociedade, mas baseadas na vida nova, no amor dos que creem em Cristo. Esse amor e essa relação permeiam toda a vida da pessoa e da comunidade de fé.